|

25 de ago de 2005

Ao Que Virá

...E, na semana passada, numa roda de amigos, comemorando um ano de solteira de uma amiga, conversávamos sobre relacionamentos desfeitos, incompletos e satisfatórios. Do grupo de nove à mesa, entre chopp, caldos e petiscos, percebemos que seis estavam solteiros, depois de pequenos relacionamentos. A maioria se sentia decepcionado com a recepção que as pessoas estavam dando a solteiros-recém-separados, como se fossem cafajestes e não quisessem nada, Inclusive na mesa havia quatro do time feminino, que também, passava pelo mesmo problema.

No final, todos concordaram que é sempre bom ficar um tempo sozinho depois de um casamento desfeito, ou namoro não resolvido. Com esse tempo olhamos de outra forma os passados anos ruins de vida a dois, e aprendemos muito quanto ao respeito a espaço, coisa que normalmente não exergamos no dia-a-dia. Notar e anotar as transformações a que se passa. A mudança nos sonhos e atitudes. Esse tempo, não é bom durante a relação, isso concordamos também. Um achou que era importante, quando o casal mora com os pais, ou com filhos. Pode ser, mas, depois que partimos seriamente e sabiamente para um casamento, é claro, que o ideal é ter seu próprio lar, e no fundo, todos querem criar seus filhos o melhor possível.

O que todos perceberam é que não encontraram relacionamentos satisfatórios a ponto de pensarem em retornar a vida a dois. Penso que é como se ficássemos mais seletivos, ou não quiséssemos mais cometer o mesmo erro. Os encontros que queremos não são ou não parecem ser tão românticos como queremos. Parece que nos testam, e cada relacionamento surge o fantasma do ´´ até onde ir``. Todos na mesa tiveram suas decepções depois, foram felizes por um tempo, mas depois as coisas desandaram, e o parceiro ou a parceira, começou a cobrar coisas normais para quem nunca teve um relacionamento mais maduro. Mas foi unanime a opinião sobre a esperança numa nova chance para ser feliz.

Para encontrar essa felicidade não precisamos chorar ao beber um gole de vinho com saudades dessa ou daquela pessoa, e tambem, não precisamos ficar caindo por amores a toda hora. É a chance que queremos pra mudar, afinal, quando nos separamos o principal horizonte é fazer tudo diferente, ou parcialmente, esperando que a vida lá na frente nos mostre algo de bom, porque o a vida no momento está um caos. Mas, a espera pode valer muito a pena, e quem tanto queremos encontrar, está ali na nossa frente.

É preciso aceitar nosso limite, e muitos se dão mal porque não esperam a cama esfriar, e logo alguém chega de mala e cuia para o lugar de quem saiu. Com o tempo, vemos que não é bem assim, e não há necessidade disso. Precisamos de tempo, agora sozinho, para colocar nossas novas atitudes em ordem. Não temos mais ninguém para nos pedir e nem nos dar tempo. O tempo somos nós, e ele nos dirá tudo. Temos tempo para refletir, falar, pensar, criar, e viver, principalmente. Viver sozinho não é o fim do mundo, e nem sempre estar com alguém é estar feliz. Isso todos concordamos, e brindamos a nossa bela e infindável vida de solteiro, e nosso sonho ainda de encontrar um grande amor.

No Gramophone : Sua Estupidez, Roberto Carlos.

Comentando os comentários:

Morcego: (1) É verdade, mas é uma sorte ter um amor tranquilo...(2)Não sei ao certo o que não deu certo, foi como lição de vida..(3)Até hoje tenho saudades, e sempre que nos falamos, brindamos com alegria o nosso passado.

Canceriana: (1) Até que não penso se foi na hora errada, acho que a nossa juventude não nos deixou ver o que era preciso naquele momento...(2) Foi um tempo mágico, e eterno enquanto durou..(3) Mais ou menos tudo isso que você falou.

Anita: (1) É, foi lindo, e ficou como nossa música...(2)Como falei pro Morcego, é sorte ter um amor tranqüilo.

Jady: Obrigado!

DO: (1) Essas histórias é que nos conduz a plena felicidade...(2)E, vivê-las, então, nem se fala.

Jackie: (1) Pois é, o amor que eu queria era amar e ser amado, mas na minha juventude não imaginava o que o real sentimento se transformaria...(2)E ele foi eterno, é eterno, sinto isso sempre que nos encontramos...(3) Tomara que eu ainda encontre um amor...(4) Ah, gosta do Beto Guedes? Legal!...(5) Sem problemas, a gente vai ter tempo pra conversar.

Teti: (1) É bom seguirmos esse sexto sentido, tem gente que fala como se não fizesse parte de seu próprio ser...(2) Lendo isso que você escreveu, não é para ter dúvida dele...(3)No fundo o tempo nos diz o porquê de todas as coisas.

Clarinha: (1) Esse foi o primeiro apresentado que tinha ver, o resto prefiro conhecer...(2)Já com a mãe de meus filhos que também um grande amor, esse foi tranquilo, e casamos...(3)Então, vamos comemorar nossos amores!

Lulu: (1) Na época era muito jovem pra penar em intuição, eu queria viver, sem conseqüência ou causas...(2)Foi uma linda história, com uma bela trilha, realmente.

Lia: (1) Bem vinda ao B&P!...(2) Obrigado! Que possa colorir mais ainda sua vida...(3) Volte sempre!

Gi: (1) Foi a surpresa que podia te dar...(2) Quem sabe um dia não te faço uma bela surpresa real?

Karen: (1) A distância diminui a força do amor, acredito nisso...(2) Como morávamos longe, sempre moramos longe, cada vez que nos encontrávamos surgia complicações, mas tentávamos aproveitar o máximo...(3) Assim fomos vivendo até acabar.

Drica: (1) Hoje penso assim, mas na época em que vivi a imagem era outra...(2)E ele me traz ótimas lembranças.

Liliane: (1) Não, não chegou a ser , apenas o nome...(2)Nem poderia conhecer, porque ultrapassam qualquer uma.

Eus : (1)Todos queremos, e mesmo vivendo um grande, temos capacidade de viver outros em qualquer idade...(2) Se e fazer alguém feliz só dependo dos envolvidos...(3) Passarei sempre por lá.

Luma: (1) Bem vinda!...(2) Ah, estranhou? É que não entendo muito de templates, e vai base da simplicidade mesmo...(3) Volte sempre!

Mirza: (1) Obrigado!...(2) Também acredito! E são essas coisas que fazem a vida valer a pena...(3) Era a Bárbara, hoje com dezesseis anos...(4) O importante é não banalizar o nosso sentimento.

: (1) Cazuza sabia como dizer das coisas...(2) Não deu certo, mas hoje somos grandes amigos...(3) Nosso Flu está bem, obrigado.

As 14 Máscaras: (1) Bem, as vezes é, mas não há problema que não possamos resolver...(2) Alguns amigos nos conhecem melhor que outros, e esses se destacam na nossa escolha.

Carol: (1) Ah, então um dia você vai me contar...(2) Sei exatamente a parte da musica que cantamos juntos...(3)Pense , ele existe.

Rafa: (1) Obrigado!...(2)Saudades? Então, apareça!

Flôr: (1) Foi em julho, dia 19...(2) Não nunca lhe falei...(3) Perdoada? Sempre e sempre...(4) Namastê!


Escrito por Sergio Nasto,
às 19:52


| Sites e blogs favoritos |
Jady|Cintia|Cecilia|Guga Flaquer|Rackel|J. Neto|Euza|Carol|Bandeiras| Babi Soler|Natalia|Morcego|Drica|Claudia| Teti| Sidnei|Sieger | Lulu | Beti Timm|Ju|Katia|Eliana|Advi|Mirella|Raquel|Talita | Gisele|Luciana|Van |Juliana|Menina |Luana|Micha | Meninas/a>|Sonia | Dácio Jaegger| Monica Montone | Ana | Alê|Josi|Liz|Marcos | |Giovana Manzoli |Grace|Mario|DO| Be| Pepê|Katia| Mirza|MaithII|Luma|Janaina|Lia|Rosa|Cris Penaforte| Lino| Saramar|Mani|Ana Pontes| Raquel Moniz|Meire| Cilene|Sandra Turner|Fernanda|Hiran|Dalva|Mary|LilianePaula| Edgar|Magui|Sammyra|Mere|Tina Harris|Tina|Monica Cabral||Bel| Laura|Veronica|Elvira|Alice|Fabiola|Maith|Kall|Keila|Cejunior| Patty|Elisabete|F.|Marconi| Daniele|Barbara|Loba|Euza|Di|Fred|Vivi|Lili|Vera|Georgia| Elis|Paulo|PauloII|
| Arquivos |
02.2005 03.2005 04.2005 05.2005 06.2005 07.2005 08.2005 09.2005 10.2005 11.2005 12.2005 01.2006 02.2006 03.2006 04.2006 05.2006 06.2006 07.2006 08.2006 09.2006 10.2006 11.2006 12.2006 01.2007 02.2007 03.2007 04.2007 05.2007 06.2007 07.2007 08.2007 09.2007 10.2007 11.2007 12.2007 01.2008 02.2008 03.2008 04.2008 05.2008 07.2008 10.2008 11.2008 12.2008 01.2009 04.2009 06.2009 07.2009 08.2009 09.2009 11.2009 12.2009 02.2010 04.2010 05.2010 06.2010 07.2010 11.2010 12.2010 04.2011 08.2011


| Créditos |
Blogspot | Getty Images | Haloscan | Inversa


<body> <BGSOUND SRC="musicas.mid" LOOP="INFINITE">