|

29 de jul de 2005

As Horas Que Passam

...E, quando me perguntou o que eu achava da operação, imediatamente não concordei. Pelo menos não agora. Bem, até aceito que é necessário que faça, principalmente numa sociedade acostumada, e cada vez mais incentivada a escolher pelas aparências. É o seguinte: Ela foi acidentalmente queimada no rosto quando criança. Não saber a diferença, e não entender entre o que se quer e o que se precisa, é uma das coisas que mais atrapalham o convívio melhor com tudo o que está a nosso lado. Cria-se uma desarmonia e desequilibro, quando vemos propagandas na tv e revistas, e não podemos alcançar. Podemos até nos tornar pessoas negativas, por não ter alcançado o que queríamos. Ela estava meio decepcionada. Tudo isso porque ela viu um programa de tv onde falava de um caso igual ao dela. Não se pode, a ver esse tipo de coisa, pensar que já se quer aquilo, ou que sem aquilo não se vive, não se pode conseguir o que se quer. Existem coisas que queremos, outras que precisamos. Quase sempre confundimos isso. O consumo, ou a força dele, com o tempo passa a destruir mentes näo avisadas.
Toda esse mundo mecânico de consumo martela todo o tempo sobre querer e precisar. O que se deseja nem sempre é o que se necessita. Ela me mostrou uma revista com o rosto de um homem com queimaduras igual a dela...´´ O que você acha?`` - perguntou. ´´É necessário, agora? Se não for, adie. Veja outras coisas.``, falei. Pra completar ela me fala de uma amiga que dá o maior incentivo. Claro, também, incentivo, mas não agora com tanta coisa mais necessária pra fazer, como a reforma de seu apartamento. Acho isso mais importante. As propagandas fazem seus serviços e para quais foram pagas: Dizer que não podemos viver sem um carro zero km, sem uma tv de 56 polegadas, sem o som de 5000 watts RMS, é vender uma ilusão. São materiais, não são necessárias, apesar que queremos. Esse ´´bum`` de consumo que os meios de comunicações mostram, faz parecer que tudo aquilo é essencial para que possamos ser felizes, ou ter uma vida profissional e amorosa bem sucedida. Ela depois concordou que era uma ilusão momentânea. Fazer uma coisa de cada vez é o que diz a regra de bem viver. Tentei convencê-la de que isso poderia ser uma falsa felicidade, mas de maneira nenhuma quis lhe tirar o sonho, apenas mostrar que há coisas mais importantes na sua vida atual, sem contar que aquilo poderia está sendo posta para encobrir um outro desejo.
Ela concordou que a carência afetiva foi um dos grandes problemas de sua vida, que sempre pensou que não conseguiria viver sem os pais, depois sem o marido, e agora, sem os filhos. Nós queremos a vida inteira um bom relacionamento, um bom namoro, um bom casamento, mas procuramos porque achamos que aquilo se faz necessário a nossa vida, mas é uma ilusão também, podemos encontrar a felicidade sozinho. É como aquela música do Kid Abelha, ´´Qual o sentido da realidade? Será preciso ficar só para se viver?``. Falei pra ela, que quando se aceita como quer e sabe o que se quer, encontra-se a felicidade mais rapidamente. Sabemos que para chegar a isso é necessário um conhecimento maior de nós, de nosso limite, de nossa segurança, para que não aconteça uma queda ao primeiro desnível de estrada.
No fim, rimos de como começou e terminou nosso agradável e longo papo...De uma operação plástica a filhos e relacionamento conjugal...Bem, mas vimos que tudo começa para o melhor, com uma felicidade interior, ela é o início de tudo, com ela não precisamos de falsos projetos, falsas operações, falsos relacionamentos, sem apegos desnecessários, pois sabemos o nosso valor. Minha vida se modificou muito nos últimos anos, mas a todo momento sei muito bem o que quero e até onde posso ir. Traço um objetivo e vou em sua busca, uns demoram outros não, mas chegam. Assim é tanto para a grande como para a pequena coisa, tudo faz parte da realidade que leva a vida que queremos. Não podemos deixar que o tempo modifique nosso objetivo, e se mudar que seja para melhor.

No gramophone: ´´ High Head Blues``, The Black Crowes

Comentando os comentarios:

Clarinha: (1)Ouvi dizer que queria colocar o nome de Espaço John Lennon, não achei legal a ideia,melhor seria, se fosse pra mudar, Espaço Cazuza...(2) Realmente me fez muito feliz.

Drica: Foram incríveis tempos! Naquela época quem gostava queria imitar.

Ana:(1) Pois é, o que aconteceu comigo foi mais ou menos isso, um verdadeiro filme...(2) Na época la do Arpoador eu morava em Recife, e nao peguei, quando fui em ferias em julho de 82, nao fui a show algum la...(3) O Lobão e os Ronaldos era a banda mais rock que eu gostava de ver...Ainda me lembro daquele beijo....O negocio e que eramos apaixonados pela Paula Toller(4) Nosso Flu vai melhorar,aconteceu com todos os times até agora.

Teti: (1) E aí, foi no show do Kid? E bom assistir show grávida, e bom pra o bebe...(2) Assim e mamata,tudo de graca!

DO
:(1) As lembrancas voltaram e muito, amigo....(2) Coisas que nos fizeram felizes sempre temos vontade de reaver...(3) Participo sempre das enquetes.

Liliane: (1) Pois é, foi ótimo!...(2) E viva os anos 80!

Canceriana: (1) Não se é tarde ou cedo para começar a gostar de boa música...(2) Não assisti o Jô, em o Altas Horas por causa do horário...(3) Eu ví o meu erro no comentario

Carol: (1) Kid é bom em qualquer época...(2) É claro, a próxima viagem é para João Pessoa e Campina Grande.

Lúcia: (1) Bem Vinda!!!Obrigado, sem problema ...(2) Foi ótimo, e te conhecer mais melhor ainda...(3)O ´´passarinho`` está certo, vamos combinar os filmes, pois, os cds já escolhi...(4) Apareça sempre que quiser e puder.

: (1) Já deu pra perceber que tambem gosto deles,né? ...(2) Nosso Flu tá facilando. O pior é que esses resultados vão fazer falta no final do campeonato.

As 14 Máscaras
: (1) Bem vindo!!! Sabia da enquete, inclusive, votei em blogs amigos...(2)É legal saber que você está agradando. Eu procuro fazer o mais verdadeiro possivel. Como fosse um papo amigo...(3) Obrigado, a gente se bloga ...(4) Disponha também da minha amizade e apareça.

Aldy: (1) Obrigado... (2) Meu carinho por você é bastante durável, e todo dia é dia da gente se encontrar, digo, blogar.

Mirza: (1) Bem vinda!!! Primeira aparição e primeira viagem eterna...(2) Eu gosto de todos, os show dos Paralamas eram os mais concorridos...(3)Eu linkei e adicionei você, mas o blogspot demora uns dias até aparecer no info lá embaixo...Desça...(4)Apareça sempre que quiser e puder

Jady: (1) Ainda bem que sua irmãs tinham bom gosto...(2) Ah! que maldade com a gracinha da Paula Toller...(3)Não é nada de rabo de saia, ela é uma gracinha...(4)A maioria dos shows ela se apresenta de calça, ela é super recatada, desde um show em que ela foi de microminisaia,e deu o que falar.Mas ela não é nada sem sal.

Shê: (1) Tudo bem, tá desculpada, eu entendo sua situação atual...(2) Não é preciso acabar, basta postar quando der..(3) É, em meados da década de 80 ela tinha o cabelo quase branco. Era a moda da época...(4)Não é a mesma mulher, essa eu conheci dia desses...(5)Estarei sempre por lá, apareça quando puder.

Cristiano: (1) Obrigado...(2) Olha, foi uma das melhores épocas em relação a música, todo final de semana tinha programa certo...(3) Não cheguei a ver o Cazuza sozinho, todas as vezes foram com o Barão, mas ele é que realmente era o show. O filme Cazuza retrata muito bem tudo aquilo, igual mesmo.

Gi: (1) Pois é, eles namoraram, inclusive o Herbert poderia ter sido o guitarrista deles...(2) Também curti o Zé e o Fagner, anos depois quando fui morar em Brasilia. Conheço bem os primeiros discos dos dois...(3) Ótimos tempos.

Lulu: (1) Legal! Outro ponto em comum para nossa viagem...(2) Torço para que consiga ir ao show, faça um esforço vale a pena.

Anna: (1) Que bom que gostou! Você é querida mesmo, mas a sumidinha é light, né?...(2) É uma completa trilha sonora os anos 80, todos eles..(3) Trauma?? Pra curar só ouvindo o acústico, ou então, ´´ Meio Desligado``, um dos melhores. .(4) Ok, Amiga Virtual Inteira?. Gostei.

Ana Melo: (1) Sumida, mas nem tanto assim...(2) A ´´ galera `` foi muito legal,ano que vem já tá marcado, foi bem como você disse...(3) Talvez hoje o ´´Circo`` não seja o mesmo,mas dia desses vi um clipe do Los Hermanos, e achei bem legal pareceu os velhos tempos.

Karen: (1) Ok, imaginei isso, pensei em viagem em férias...(2) Aparecerei sempre, pode deixar.

Simone: (1) Lindo o que você escreveu, devolvo as mesmas palavras e sentimentos...(2) Beijo no seu lindo coração.

Claudia Beatriz: Legal! Ainda bem que revivi sua memória...(2) Vou fazer uma pequena lista pra vocë...(3) Vou colocar alguns cds.

Morcego: (1) Era isso mesmo, cara, o som mais gostoso aos ouvido masculino..(2) Ah, as pernas, não mencionei, mas entra no quesito encanto...(3)Ela agora tá sensacional, colocando essas ´´ivetes`` da mpb no chinelo...(4) Falar em Pernambuco não tem como deixar de lembrar dele...(5) Não vá, pois não quero perder um amigo...(6) Rasantes vôos nesse fim de semana e suculentas jugulares.


Escrito por Sergio Nasto,
às 10:30


21 de jul de 2005

O Tempo Que Interessa


...E, eu tinha pressa e tanta coisa me interessava naquele tempo...Sábado, dia 16, relembrei com muito prazer aqueles dias despretensiosos do ano de 1983, quando assisti pela primeira vez o Kid Abelha e Os Abóboras Selvagens, no Circo Voador, o Templo do Rock Brasil nos anos 80, já instalado nos Arcos da Lapa. Não conhecia as músicas, e tudo o que eu tinha de era ´´ Vida de cão é chato pra cachorro`` do LP ´´Rock Voador``, com várias bandas, mas a beleza daquela garotinha, mesmo que com a pele do rosto com espinhas (e qual fã se importava com isso?), disfarçada por pinturas, chamava o público masculino. Naquela noite nem prestei a atenção ao primeiro show, e quem daria crédito a uma banda com aquele nome, Abóboras Selvagens?....Mas, logo ouvimos a batida e o sax de ´´Pintura íntima``... Fomos correndo para perto do palco, eu e a turma de sempre, para ver a Paula Toller. A cantora era a diferença das bandas daquela época. Existiam outras bandas, como o Sempre Livre, o Metrô, as Absurdetes da Gang 90, mas Paulnha, como intimamente chamávamos, que não era uma grande cantora, tinha um encanto que era ´´ de Deus``.

Foram bons tempos, fins de semana inesquecíveis. A Geração 80 do Rock Brasil , estava começando, e era possível assistir entre o verão de 1983 e o de 1985, shows de artistas como Blitz, Lulu Santos, Kid Abelha, Titãs, Lobão e Os Ronaldos, Paralamas do Sucesso, Barão Vermelho,Ultraje a Rigor, Legião, na mesma noite. Tanto no Circo Voador como no Noites Cariocas, lá no Morro da Urca, vivíamos noites assim, de pura adrenalina. Era o que todos queriam, amanhecer na farra, ouvindo rock até o sol dar o seu bom dia, e muitas vezes tontos, e ninguém saía de lá. Era um público fiel, era normal encontrar pessoas da sexta ou do sábado anterior, e tudo na paz, as pessoas iam para se divertir, não havia baderna. Às vezes eu pensava que a frágil figura da Paula poderia complicar a noite com shows só de bandas masculinas, mas acontecia o contrário, o público aplaudia mais ainda o Kid,.

Logo após a isso, em 1984, o Kid surgiu mesmo como grande banda,gravou seu primeiro LP, e detonou vários sucessos, como todos os primeiros discos da bandas daquela época, Legião, Paralamas, etc...Pelo menos quatro músicas chegavam fáceis aos nossos ouvidos. Quem ouve hoje o primeiro disco acha que é um disco só de hits, porque são músicas que em seus shows é sagrado que cantem. Depois de uma briga com o Herbert Vianna, que era namorado da Paula, na época, o Leoni abandonou seus companheiros, Paula Toller, Bruno Fortunato, e George Israel, para formar o Heróis da Resistência, que claro, não obteve sucesso como o Kid, que a parti daí passou a se chamar apenas Kid Abelha. A banda não perdeu muito, porque além da voz e presença principal, todos eram compositores, e a cada novo LP, a banda parecia melhor.Assisti mais dois shows, e em um deles pareceu que não estavam bem, me pareceu naquele dia, que a banda não ia em frente. Ledo engano, e desde o primeiro disco até o último já se passaram 20 anos. A formação original permaneceu.

Agora, com a oportunidade de assistir novamente um show deles, fui a Garanhuns, interior de Pernambuco, para o Circuito do Frio, acompanhado por ótimas pessoas e amigos ´´alto astral``, como dizíamos naqueles saudosos anos...No meio do show, eu e Lúcia, fomos pedindo licença aqui, ali, e chegamos lá na frente, do mesmo jeito daquela primeira noite, corremos pra perto do palco. Lá, vi um Kid Abelha, infinitamente melhor que aquele dos anos 80, inclusive a Paulinha mais solta no palco, com uma voz mais firme, mais bem posicionada perante seu público. A única coisa que não mudou foi o público que, como sempre, esteve encantado, participando, chegando a cantar sozinho ´´Nada Por Mim``....Por alguns minutos, voltei no tempo, e como foi bom recordar e de uma certa maneira reviver meus momentos felizes, dos eternos amigos e noites, ali frente a frente com Kid Abelha cantando pra esquentar a noite fria da cidade.

No gramophone: ´´Grand Hotel``, Kid Abelha.

Comentando os comentários:

Teti: (1) Realmente, o fato de ser legal, às vezes, dá asas a outra pessoa para confundir...(2)Não, não podemos mudar até porque não é toda pessoa, são poucas até.

DO: (1) As mudanças estão aí, mas nem por isso o respeito pode ser atingido, não é?...(2) Obrigado pelo Dia do Amigo.

Clarinha: (1) É verdade, o medo e a carência afetiva podem ser causas...(2) A idade dela é 29 anos...(3) Não falei do estudo por preconceito, e sim, por falta de experiência de vida, também não tenho faculdade...(4) Obrigado pelos cumprimentos de aniversário e de amigo.

Ana: (1) Não há porque comentar sem permissão, isso é invasão de privacidade...(2) Obrigado pelos cumprimentos de dia do meu aniversário...(3) Duas derrotas seguidas! Por sorte o campeonato é grande...(4) ótimo papo o nosso, espero repetir.

Liliane: (1) Verdade, meu aniversario foi 19 de julho...(2) Isso é coisa da vida mesmo, filhos crescem e se soltam pelo mundo em busca de seu próprio caminho...(3) Se avô? É uma boa!...(4) Obrigado pelos cumprimentos. Guardei o pedaço de torta, um dia te darei.

Drica: (1) O que você não entendeu? O post? A idéia é mostrar que uma pessoa às vezes confunde seu sentimento de amizade por algo mais em função de sua carência ou despreparo pra vida, alguém que discorda do modo como você vive, sem entender o motivo pelo qual te levou a viver dessa maneira... (2) Obrigado pelo cumprimento a meu aniversário.

Morcego: (1) É, Nobre Vampiro, ela não entendeu por falta de experiência, quem nunca teve filhos não tem como falar se concorda ou não sobre a atitude de um pai ou mãe. Tentei falar pra ela que minha situação foi como no filme Kramer versus Kramer , mas ela nunca assistiu. Crio meus filhos com independência, não para eles viverem comigo sempre, para que busquem suas independências cedo, como eu busquei...(2) Obrigado pelo cumprimento do Dia do Amigo...(3) Bons ventos te levem para a Transilvania!...Mas, que volte!

: (1) Saudades, também, nunca mais te ví no msn...(2)Foi uma pena não ter encontrado com ela, mas haverá próxima...(3) Também não tenho esse costume de palpitar...(4) Nosso Flu, com duas derrotas seguidas ta se complicando, mas vamos esperar, o campeonato é longo...(2) Obrigado pelos cumprimentos.

Eus: (1) Seja bem vinda!Primeira visitante da cidade...(2) É, não podia deixar de aparecer lá na sua ´´casa``...(3) Pode deixar estarei sempre lá. Apareça aqui também, esteja à vontade.

Karen: (1) Eu, to sempre bem...(2) Linkei, mas no blogspot demora uns dias para aparecer...(3) Obrigado pelos cumprimentos, logo cedo...(3) Estarei por perto sempre, você também é especial.

Anna: (1) Olá, Querida Super Sumida....mas, eu li os outros comentarios atrasados,e adorei todos!!! Fico com uma felicidade enorme com sua volta ao Retrato...(2) Acho que esse lanche de quere falar o que não se enxerga é bem do ser humano, mas algumas pessoas passam do limite quando simplesmente fala e não ajuda, só critica. Se não quer ajudar, então, não atrapalhe, certo?..(3) Que pena não ter ganho, ia te pedir uma grana emprestado..(4) Obrigado pelas palavras de carinho e bom humor.

Canceriana: (1) Obrigado pelos cumprimentos de amigo e aniversário...(2) Deus estará sempre comigo, e com os amigos de energia positiva como você...(3) Felicidades, também.

Gi: (1) Obrigado pelos cumprimentos de aniversário...(2) Ah, descobriu??? Eu enganei você!.

Rafa: (1) Obrigado pelos cumprimentos do dia do meu aniversario...(2) Toda sorte a você, também.

Lulu: (1)Tudo atrasado, mas vindo de você eu aceito, obrigado...(2) Não pode esquecer nossa viagem.


Escrito por Sergio Nasto,
às 18:33


14 de jul de 2005

Uma Determinada Lição


...E, ali sentado, tomando uma água-de-côco, parei de falar, e enquanto saboreava o fraco sol e o descanso, percebi o quanto ela confundiu o que falei um dia antes. Tudo bem, a convidei pra sair, conversamos até tarde naquele barzinho, o som tava ótimo, o papo bom, mas aquilo era apenas a primeira vez que saíamos, não queria dizer absolutamente nada. Às vezes o bom modo de tratar uma pessoa, faz com que ache que pode criticar seu modo de agir, ou o que você fez no passado. Conversei com ela apenas duas vezes anteriores, mas garanto nada demais, sem muita coisa pra trocar. E aceitei o convite para continuarmos o papo, com a condição de escolher o lugar. Se tivesse deixado com ela, provavelmente mais uma vez não acabaria o papo.
Acho que quase todo mundo já passou por uma situação dessas. Certas pessoas têm tendência à não reparar com cuidado o que você quer dizer, da boa educação, e da boa maneira de aconselhar. Isso pode acontecer de diversas maneiras. Tanto na confusão de sentimentos, quanto na maneira que, dessa forma você concorda com que ela critique seu modo de agir, e ainda mais quando a pessoa não tem experiência para criticar e não poder, por eu achar que é falta de educação. Eu, por exemplo, só converso sobre determinado assunto se o interessado me falar, ou pedir minha opinião, do contrário, sequer comento. Na realidade, nos sentimos meio que invadidos, como se a corrente do limite máximo da nossa casa fosse arrancada, sem nossa permissão.
Sou uma pessoa que conversa com quem quer que seja, e os meus quase 41 anos me dizem muito. Não sou ´´O Dono do Mundo``, mas trilhei caminhos tortuosos e cargas pesadas, para que pudesse aprender que há caminhos limpos e muito descanso embaixo das letras que eu próprio escrevi. Ter um bom diálogo, conversar abertamente com as pessoas tem um certo grau de gravidade, ou perigo. O problema é que um determinado grupo está acostumado a descarregar problemas, e todos os seus dissabores para outras pessoas. Tentei falar pra ela que deveria ter uma nova visão de sua própria vida, e não a de seus pais e irmãos. E, mais uma vez parecia que não terminaríamos aquele assunto. Depois de uma certa hora, ela me perguntou como via meu futuro, e lhe falei que seria o melhor possível. E seus filhos? Eles serão donos de suas vidas, falei. Por enquanto, são de minha responsabilidade, mas vida seguirá com seus desafios, e eles, lutadores. Isso se aprende cedo.
Chego a entender o lado dela, pelo modo como foi criada, e não ter um bom campo de visão. Tem até um bom nível de estudo, mas não terminou a faculdade. O fato de não ter arranjado um bom casamento, faz com que ache que eu estaria solitário, e se admira por eu, por enquanto, não pensar em casar novamente. Isso não é assim, achar que porque já foi casado, é mais fácil encontrar outra pessoa, é mais fácil lidar com o dia-a-dia, pensar assim é um erro, e eles não podem ser cometidos diversas vezes. Isso é uma lição que aprendemos para a vida inteira. Não fujo de relacionamentos, coisa que ela admitiu, ter feito a vida inteira. Não acreditou em si, não acreditou em alguém, e como ela falou, que quase noivou, mas não falou o motivo e também, não perguntei. Temos motivos para levar a vida que queremos ou a que podemos sempre procurando aprender algo de mais interessante. Ela não sabe muito, mas não tem culpa, seus pais tomaram seus olhos para si por muito tempo. Hoje ela vê o abismo a sua frente, e não pode dar um passo adiante. Não posso me chatear por isso, ela não entende de limites.
No final, ela me pergunta sobre meu aniversário...Não sei, tudo pode acontecer, dia 19 será outro dia.

No Gramophone : ´´Bitter Sweet Symphony``, The Verve.

Comentando os comentários:

Clarinha: (1) É realmente é muito tumultuada, e muita história, mas era como eu gostava...(2) Na Domingos, morei no Camões...(3) Estou sem tempo, e quando entro você está off.

DO: Não perca uma outra oportunidade de conhecê-lo melhor.

Teti
: (1) Morei exatamente, na esquina com a Figueiredo...(2) Essa é a imensa tristeza que domina as grandes cidades e bairros do Brasil, não só com Copacabana.

Karen: (1) Seja bem-vinda!...(2) Só não consigo linkar você, até mudei lá dentro mas não aparece na tela, não sei o que fazer, mas te visitarei sempre.

Drica: Já foi muito agradável nessa época que vivi, acho que não ta tão assim mais.

Ana: (1) É talvez por ter sido já como adulta, a época adolescente tem toda uma mágica...(2) Sábado tem mais, que seja uma vitória.

Rafa: (1) Se você morasse lá, entenderia melhor ainda, mais que nas férias...(2) As ´´viradas`` dos anos sempre foram mágicas mesmo...(3) É uma pena que ocorra isso.

Morcego: (1) Berço de tudo...(2) Mas na é de agora essa mudança, lembro que já no inicio da década de 70 alguns conhecidos já saiam do bairro, naquela é poça a Barra era só matagal...(3) Sempre princesinha, mas não vale morder o pescoço dela, valeu?.

Shê: (1) Que pena não conhecer...(2) Três Rios é ótimo!

Simone
: (1) Obrigado!...(2) Eu sei, sempre estarei lá, pra tomar o bom café com pão de queijo da dona baratinha.

Liliane:(1) Hoje, também, estou mais pra calmaria, igual a cidade que moro atualmente, Maceió...(2)Essa é a parte ruim, mas o jeito bom de lidar com fofoca é não ligar, viver a sua vida...(3) Saudade da Gilda fofinha.

Canceriana: (1) Forrest Gump? Essa foi boa...(2) Vá lá dar um passeio.

Carol: (1) Comigo você sabe que pode contar...(2) Morei lá 18 anos da minha vida...(3) A violência parece generalizada, infelizmente...(3) Quando eu voltar a morar lá, já está convidada.

Gi: (1) É, isso é coisa nossa mesmo, e melhor ainda quando se vive...(2) Ficou ótimo tudo lá na sua casa...(3) Não há de quê.

Lulu: (1) O Rio é lindo, e Copacabana mavilhosa...(2) Morei lá nas décadas de 60, 70, e 80...(3) Mas, pelo menos aproveite, vá a São João.

Flôr: (1) Obrigado, querida...(2) É, eu sei, e guardo tudo com imenso carinho...(3) Ninguém roubará nossa memória


Escrito por Sergio Nasto,
às 23:49


7 de jul de 2005

O Amor Por Uma Princesa

...E, no meio do cochilo no sofá, recebi um e-mail de uma amiga, até engraçado, era sobre como sobreviver em Copacabana, com um boneco com coletes, sprays, capacete, botas, capas, e uma série de protetores contra o crime. Eu rí, e liguei pra ela, rimos e conversamos bastante como sempre acontece, soube de novidades , e também como sempre, inevitavelmente, relembramos os velhos bons tempos. Moradores que estão ate? hoje na rua, os que casaram se separaram, os que mudaram, filhos, etc e tal...No fundo, aquele e-mail apesar de cômico, me entristeceu, porque amo Copacabana. Não nasci no Rio, apenas morei uma boa e inesquecível parte da minha vida, nesse bairro maravilhoso, que reúne tudo. De uma certa forma, a gente se torna historia dele, e fica impossível não eternizar na memória. E falar com amigos da época, parece não ter fim...E foi muito bom.
Isso ocorreu na semana passada, e resolvi fazer um post falando sobre esse bairro-cidade. Só quem viveu, vive e ama, consegue ter um sentimento único, de trato, de tristeza quando ver pela tv, ou ouve falar dos absurdos que acontecem. O descaso das autoridades, que não é novidade no Brasil, o descuido de alguns pessoas, que estão mas, não moram, e da alegria infinita quando algo de bom acontece, quando os eternos moradores, não importando de que estado ou país vieram, mas que evidentemente amam seu bairro, conseguem lutar e transformar algo para melhorar. Lá encontramos de tudo, e de todos, é como se o Brasil e o mundo passasse nas suas ruas, se encontrasse nas esquinas, onde tudo acontece, onde tudo de bom aconteceu e muita coisa ruim, também. É um grande espelho e reverso desse espelho. Os contrastes se encontram, se aliam, se jogam...Os melhores e os piores, enfim, o mundo, o Brasil.
Copacabana que foi palco de boa parte das grandes transformações do Brasil na ultimas décadas do século XX, foi descoberta meio sem querer, mas foi rápida sua ascensão a bairro. Como é situada entre os morros e o mar, os túneis, foram os primeiros acessos, logo a modernidade de bondes chegaram. Brigas políticas; suicídio de Getulio Vargas; Berço do Rock, no Brasil, e dos primeiros namoros da Bossa-Nova... Onde a Jovem-Guarda era mais presente...Foi, e ainda é, cartão de visita do país; Morada de presidentes, misses Brasil, e celebridades. Sempre, através de amigos que ainda moram lá, sei de alguns acontecimentos, mas também sei que sempre,em toda sua história, existiram os mesmos problemas, sempre foi um bairro conflitante, Muito já se criticou, e muito se elogiou, mas, pra mim, continua sendo o melhor bairro do mundo.
Morei lá em três décadas diferentes. Desde o final da década de sessenta até o inicio do anos 2000. Da infância, lembro pouco, coisa mais familiares, brincadeiras na Praça Sezerdelo Correa, do Gordon, do ônibus elétrico, das Casas da Banha, que o Chacrinha anunciava onde comprar ??o melhor bacalhau do Rio". Os anos adolescentes é que me trazem mais saudades, era uma época romântica ainda, sem tanta violência estampada nos calçadão e na praia. Saudades dos jogos no pátio do Cócio Barcellos antes da aula, da pizza da Gênova, do Cine Roxy e do Ryan, onde hoje é um hotel, das escolas Cícero Pena e Roma, da Igreja São Paulo Apóstolo, onde fiz a primeira comunhão, das ruas onde morei, Domingos Ferreira, Emílio Berla, e Barata Ribeiro....Da pixação nos muros do bairro, que deixava todos curiosos: ??Celacanto provoca maremoto"... Na fase adulta, passei menor tempo, o bairro já não era aquele sonho, mas não era nenhum pesadelo. Os reveillon foram sensacionais..E, a eterna última ´´pelada`` do ano na praia, com os amigos ainda existia. Dia desses, meu blog encontrou uma Flôr, linda como a rua em que moramos, terna como o tempo que passou, nos encontramos apenas por vultos, mas ela me trouxe de volta essa época, e vimos o quanto fomos felizes, o quanto o bairro era um sonho bom.
Ontem, dia 06, Copacabana completou 113 anos de existência como bairro. Ela é um encontro de olhares desconhecidos, conhecidos, amigos, inimigos, passos apressados, sorrisos brasileiros e estrangeiros, sempre de corações abertos. Foi assim que sempre senti, e sinto quando a visito. Me sinto em casa, conheço de ponta a ponta, todas as ruas, todas as praças...E, sinto muito, quando vejo a Praça Cardeal Arco-Verde, tomada pelo metrô...Tudo bem, é a modernidade...Quando soube que o Roxy não é mais o mesmo, me decepcionei....Mas, gostei de ver o Bairro Peixoto intacto, bonito e agradável como sempre ...Gostaria que todo bairro do Brasil fosse assim: velho, novo, mudando, renovando, que tivesse um poeta sentado eternamente à beira mar, e que fosse sempre ´´Princesinha do Mar``.

No Gramophone : ´´Copacabana Blues``, Renata Arruda.

Comentando os comentários:

Liliane: (1) Sempre gostei, inclusive dos seriados antigos, que foi assistindo que comecei a gostar dele...(2) Sou super retrogrado!...(3) Fiquei apaixonado pela Hilda.

Louca de Atar: (1) Também fiquei desconfiado, mas pela estória fui assistir...(2) Assisti Gandhi, e gostei, é também meu estilo de filme preferido, dramas, suspense, esses assim, fantasia não é muito a minha, mas assisto.

Clarinha: (1) Pois é, seus amigos estavam certos, devia ter assistido...(2) Suas comidinhas, sempre gostosas, hem?! Assim vou engordar...(3) Parabéns, pelo netinho, e para a mãe.

Jady: (1) Era assim mesmo, e até mais, por causa da censura, alguns filems demorava até seis anos pra ser liberado...(2) Vá nesse final de semana.

Ana: (1) Sempre gostei também...(2) Nosso Flu tá bem, Campeonato Brasileiro é assim mesmo, um perde e ganha danado...(3) Com a volta do Felipe o teme melhora, gostei do Leandro armando as jogadas.

Teti: (1) Chame ´´as crianças`` e corra pro cinema mais próximo...(2) Herói desonestos já estamos cheios, não é mesmo?

Flôr: (1) Ainda dá tempo, acho que não saiu de cartaz!...(2) Está tudo em paz...(3) Namastê!

Gisele: (1) Adorei mesmo o apelido, nunca tive um, no máximo Serginho ou Serjão, esse seu foi ótimo...(2) Você terá mais sucesso...(3) Todos os dias passo por lá, em silencio...(4) Jeanie é um gênio, era ótimo.

Carol S.: (1) Sempre gostei mais do Michael Keaton, e ainda é o melhor pra mim...(2) Também, achei o mais carnaval, aliás, os dois últimos foram carnavalescos.

Renata: É que você foi criança em outra época, em que os heróis cômicos brasileiros eram bem aceitos pela meninada, até hoje tem lotação os filmes da Xuxa.

Canceriana: (1) Precisamos, e muito! Mas, quem se habilita? É bem capaz de ele se corromper também...(2) Fiquei mesmo emocionado, você acertou, pra ele foi uma tarde inesquecível.

DO: (1) É verdade, cara, eu ficava horas vendo National Kid...(2) Eu não lembro muito de Império do Sol, vou locar, pra relembrar.

Zy: (1) Que surpresa!!!!!...(2) Estarei sempre presente, te amodoro, também...(3) Apareça, quando quiser, fique à vontade.

Morcego: (1) Realmente fazia propaganda, agora que lembrei, agora essa de encolher a barriga eu não lembro...(2) Vamos ver se ele tem uma folga em Gothan City...(3) Bons vôos sanguinolentos.

Lulu: (1) Aproveite as férias, dê uma relaxada, de preferência viaje...(2) Não há de quê, amigos é pra essas coisas.

Anita: (1) Que saudade, guria! Achei que tava viajando..(2) Também, achei pouco fantasioso, e bem Bruce Lee, valeu a lembrança...(3) Esse era meu receio, quanto a interpretação dele, mas até que foi bem, não tão bem quanto o Michael Keaton, mas dá prá perdoar sim.


Escrito por Sergio Nasto,
às 22:18


| Sites e blogs favoritos |
Jady|Cintia|Cecilia|Guga Flaquer|Rackel|J. Neto|Euza|Carol|Bandeiras| Babi Soler|Natalia|Morcego|Drica|Claudia| Teti| Sidnei|Sieger | Lulu | Beti Timm|Ju|Katia|Eliana|Advi|Mirella|Raquel|Talita | Gisele|Luciana|Van |Juliana|Menina |Luana|Micha | Meninas/a>|Sonia | Dácio Jaegger| Monica Montone | Ana | Alê|Josi|Liz|Marcos | |Giovana Manzoli |Grace|Mario|DO| Be| Pepê|Katia| Mirza|MaithII|Luma|Janaina|Lia|Rosa|Cris Penaforte| Lino| Saramar|Mani|Ana Pontes| Raquel Moniz|Meire| Cilene|Sandra Turner|Fernanda|Hiran|Dalva|Mary|LilianePaula| Edgar|Magui|Sammyra|Mere|Tina Harris|Tina|Monica Cabral||Bel| Laura|Veronica|Elvira|Alice|Fabiola|Maith|Kall|Keila|Cejunior| Patty|Elisabete|F.|Marconi| Daniele|Barbara|Loba|Euza|Di|Fred|Vivi|Lili|Vera|Georgia| Elis|Paulo|PauloII|
| Arquivos |
02.2005 03.2005 04.2005 05.2005 06.2005 07.2005 08.2005 09.2005 10.2005 11.2005 12.2005 01.2006 02.2006 03.2006 04.2006 05.2006 06.2006 07.2006 08.2006 09.2006 10.2006 11.2006 12.2006 01.2007 02.2007 03.2007 04.2007 05.2007 06.2007 07.2007 08.2007 09.2007 10.2007 11.2007 12.2007 01.2008 02.2008 03.2008 04.2008 05.2008 07.2008 10.2008 11.2008 12.2008 01.2009 04.2009 06.2009 07.2009 08.2009 09.2009 11.2009 12.2009 02.2010 04.2010 05.2010 06.2010 07.2010 11.2010 12.2010 04.2011 08.2011


| Créditos |
Blogspot | Getty Images | Haloscan | Inversa


<body> <BGSOUND SRC="musicas.mid" LOOP="INFINITE">