|

31 de mar de 2005

Olhando da Janela Alheia

E caminhávamos pela Praia da Pajuçara, quando ele falou : ´´Vamos dar uma paradinha, tomar um choppinho, que quero te falar um negócio...Uma orientação``.
Bom, ele é um amigo dos velhos tempos, até que não é tão velho tempo assim, e está passando por uma terrível fase. Tinha um casamento equilibrado, sem filhos, mulher trabalhando, ele com estabilidade no emprego, se amavam, até que veio a crise dos quatro anos, e eles não suportaram, e sucumbiram. O amor se foi, e com ele os beijos e abraços. No meu modo de entender, casou com a pessoa certa, mas no momento errado, foram morar com os pais dela, e logo depois o pai morreu, e se o relacionamento com a mãe não era bom, ficou pior, daí, foram dois anos de tentativas de acerto, e logo veio a separação.
O que ele queria me falar é que está com dificuldades de entender seu casamento, desfeito há dois anos, mas que depois de uma longa conversa num encontro nas festas de fim de ano, surgiu um sentimento estranho, e desde então, não consegue esquecer a ex-mulher. Saíram, conversaram, mas não houve assunto sobre a volta. Tentei ajudá-lo, mas não é fácil.
Nós tentamos várias coisas novamente na vida, as refazemos, mas se tem uma coisa extremamente difícil é amar novamente, ou refazer a vida com a mesma pessoa. Amar a mesma pessoa duas vezes, (ou seria não ter deixado de amar?)Isso é quase impossível. Ontem mesmo vi um filme sobre dois jovens que se amaram na adolescência e se encontraram quase cinqüenta anos depois, o nome é´´ Amor, eterno amor``...Acho possível, tudo é possível, mas é tão difícil que é uma palavra que ninguém ousa falar, ou mesmo fazer existir o verbo ´´reamar``.Mas ele existe mais verdadeiramente que os outros, pois ele é agir, mais rápido, em busca do que se perdeu. Ele não se conjuga.
Aconselhei-o a dar tempo ao tempo, mas sem demora, e ir reconquistando-a aos poucos, sempre observando se ela tem a intenção de voltar. Ele acha que sim, claro. Que os perdões serão admitidos, os erros devem ser aceitos, e acima de tudo, serem verdadeiros um com o outro. Penso sempre que os problemas devem ser resolvidos dentro de casamento, mas se um não quer, não tem como isso acontecer. O que não foi resolvido não pode ser esquecido, e enquanto existir força de vontade e querer, vale a pena tentar no momento mais apropriado.
Conversamos durante horas e vários chopps, e nos despedimos. Ele seguiu mais aliviado, e eu fiquei mais feliz, podendo ajudar a dois amigos, que esqueceram de zelar por algo que tanto lutaram, e agora, com a mente limpa e mais experientes, querem se dar a oportunidade da felicidade, de buscar algo perdido, de saber onde deixaram o carinho, de encontrar aquele ´´sim``, e aceitar que o recomeço tem boa intenção no inicio mas pode não ter um final feliz.
Eu me voltei para o mar, e fiquei um pouco mais alí, sentado, esperando o pôr-do-sol.



No gramophone : ´´ Você pode ir na janela``, Gram.



Comentando os Comentários:

Drica : (1)Férias sempre são maravilhosas..(2) aproveitarei bastante pode ter certeza, torço para que tudo dê certo.

Cristiano: Valeu o convite, apesar de já conhecer sua cidade, quem sabe um dia.

Carol S. : (1)Gosto muito de viajar e fazer amigos...(2)Não precisaria ser amarelo o Jeep, é que foi só uma alusão ao carro da música.

Anita : (1) Vamos! Devo ir a São João Del Rey em dezembro, e quem sabe, de repente, podemos fazer essa viagem, juntos. Vou a um casamento de uma amiga...(2) O convite está selado, e com trilha sonora do Clube...(3) Acho que você assistiu ´´Se meu fusca falasse``.

Ana : (1) É também tenho muitas saudades Minas, e do tempo da mochila nas costas, e com toda essa trilha sonora, e direito ao trenzinho de Tiradentes...(2) Obrigado...(3) Não tenha dúvida.

Shê: (1) Viajar é bom mesmo...(2) Vou rever amigos e conhecer pessoalmente amigos virtuais.

Teti : (1) Pois é, vou fazer inveja a você, mas no bom sentido...(2) Está convidada, um dia isso acontece, pode crer.

Jady : (1) A cor amarelo foi uma alusão a música no gramophone, que é do Toninho Horta e Fernando Brant, feita em homenagem a um Jeep amarelo ( Manuel, o audaz), que ele possuía na década de 70. Inclusive, num disco do Toninho Horta, acho que é o homônimo de 1980, há uma foto do carro no encarte...(2) Me aguarde...(3) Você merece.

Carol : Vou à C. G., e à J. P. mas não deixaria de te avisar...(2) Nós vamos a Praia do Jacaré, ver pôr-do-sol, mande seu telefone pelo e-mail, que entrarei em contato.


Escrito por Sergio Nasto,
às 22:11


| Sites e blogs favoritos |
Jady|Cintia|Cecilia|Guga Flaquer|Rackel|J. Neto|Euza|Carol|Bandeiras| Babi Soler|Natalia|Morcego|Drica|Claudia| Teti| Sidnei|Sieger | Lulu | Beti Timm|Ju|Katia|Eliana|Advi|Mirella|Raquel|Talita | Gisele|Luciana|Van |Juliana|Menina |Luana|Micha | Meninas/a>|Sonia | Dácio Jaegger| Monica Montone | Ana | Alê|Josi|Liz|Marcos | |Giovana Manzoli |Grace|Mario|DO| Be| Pepê|Katia| Mirza|MaithII|Luma|Janaina|Lia|Rosa|Cris Penaforte| Lino| Saramar|Mani|Ana Pontes| Raquel Moniz|Meire| Cilene|Sandra Turner|Fernanda|Hiran|Dalva|Mary|LilianePaula| Edgar|Magui|Sammyra|Mere|Tina Harris|Tina|Monica Cabral||Bel| Laura|Veronica|Elvira|Alice|Fabiola|Maith|Kall|Keila|Cejunior| Patty|Elisabete|F.|Marconi| Daniele|Barbara|Loba|Euza|Di|Fred|Vivi|Lili|Vera|Georgia| Elis|Paulo|PauloII|
| Arquivos |
02.2005 03.2005 04.2005 05.2005 06.2005 07.2005 08.2005 09.2005 10.2005 11.2005 12.2005 01.2006 02.2006 03.2006 04.2006 05.2006 06.2006 07.2006 08.2006 09.2006 10.2006 11.2006 12.2006 01.2007 02.2007 03.2007 04.2007 05.2007 06.2007 07.2007 08.2007 09.2007 10.2007 11.2007 12.2007 01.2008 02.2008 03.2008 04.2008 05.2008 07.2008 10.2008 11.2008 12.2008 01.2009 04.2009 06.2009 07.2009 08.2009 09.2009 11.2009 12.2009 02.2010 04.2010 05.2010 06.2010 07.2010 11.2010 12.2010 04.2011 08.2011


| Créditos |
Blogspot | Getty Images | Haloscan | Inversa


<body> <BGSOUND SRC="musicas.mid" LOOP="INFINITE">